Produção de conteúdo em diversos formatos para distribuição gratuita_

O Itaú Cultural também é grande produtor de conteúdo sobre a arte e a cultura brasileiras. Em seu portfólio, o instituto registra 780 títulos publicados – entre CDs, DVDs, CD-ROMs, vídeos, livros e enciclopédias. Em 30 anos, cerca de 973 mil itens já foram distribuídos gratuitamente a bibliotecas, escolas da rede pública, instituições culturais e emissoras de rádio e televisão públicas e comunitárias, além de pesquisadores, educadores, produtores e gestores culturais em todo o Brasil. A preocupação com a educação também se manifesta em uma intensa programação para escolas públicas e privadas na sede da instituição.

 

Neste campo, o Itaú Cultural tem investido no audiovisual desde o início dos anos 2000 e desenvolveu uma série de documentários sobre grandes nomes da cultura brasileira. Batizada Iconoclássicos, ela reúne os títulos Daquele Instante em Diante, sobre o músico Itamar Assumpção, dirigido por Rogério Velloso; EVOÉ! Retrato de um Antropófago, documentário sobre o dramaturgo Zé Celso, dirigido por Tadeu Jungle e Elaine Cesar; Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz, um retrato de Rogério Sganzerla sob o olhar de Joel Pizzini; Ex-Isto, livre adaptação de Catatau, de Paulo Leminski, por Cao Guimarães; e Assim É, se lhe Parece, filme de Carla Gallo sobre Nelson Leirner. A série é veiculada no Canal Curta! em uma parceria do Itaú Cultural com a emissora.

 

No mesmo espírito, em 2014 entrou em cartaz e itinerou por diversas cidades brasileiras o filme Ouvir o Rio: Uma Escultura Sonora de Cildo Meireles. O longa-metragem, dirigido por Marcela Lordy, é sobre a busca pelo som da água pelo artista visual que lhe dá nome.

 

O instituto produziu, ainda, A Paixão de JL documentário sobre Leonilson dirigido por Carlos Nader, que tem percorrido festivais e colhido premiações importantes dentro e fora do Brasil. JARDS, de Eryk Rocha sobre Jards Macalé é outra produção do Itaú Cultural também com carreira bem-sucedida. Esse artistas já foram protagonistas de grandes exposições no Itaú Cultural, nas quais se consolidou uma investigação profunda sobre seus trabalhos e processos de criação. Todos os filmes já foram apresentados gratuitamente ao público em salas do Espaço Itaú de Cinema em diferentes cidades do país.

 

Biblioteca

O Itaú Cultural também mantém uma das mais completas bibliotecas de arte e cultura do país. Instalada em sua sede na Avenida Paulista, conta com um acervo especializado em artes visuais, música, teatro, dança, cinema e vídeo, design, arquitetura, crítica literária e política cultural.

 

O espaço direciona a sua atuação para o meio artístico e acadêmico, atendendo pesquisadores, artistas e estudantes universitários de graduação e pós-graduação, com agendamento feito com antecedência. Consultas podem ser feitas previamente também no catálogo online: itaucultural.org.br/acervobiblioteca. A Biblioteca do Itaú Cultural disponibiliza 10 mil livros, 13,3 mil catálogos de arte, mil títulos de vídeo (DVD + VHS), 460 obras de referência (enciclopédias, dicionários e guias, entre outros), 60 títulos de periódicos sobre arte brasileira e políticas culturais.

 

Premiações recebidas nos dois últimos anos

Três prêmios da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo projeto Artigas, 100, pela exposição Sergio Camargo: Luz e Matéria e pela apresentação das bandas O Terno e Boogarins no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer. O documentário A Paixão de JL, sobre a vida do artista visual José Leonilson, também recebeu premiações nacionais e internacionais, como o 23º Festival Mix Brasil, Havana Film Festival, para o melhor documentário longa-metragem e o prêmio especial do júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). A 11ª edição da Bienal Brasileira de Design Gráfico destacou produtos elaborados pelo instituto: a Revista do Observatório e as publicações impressas ligadas às exposições Oscar Niemeyer: Clássicos e Inéditos e Ocupação Zuzu, dedicada à estilista Zuzu Angel. O longa-metragem Rifle, projeto contemplado pelo Programa Rumos, conquistou as categorias de melhor roteiro e melhor som no 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e de melhor filme pela crítica da Abraccine.

2017 -  DESENVOLVIDO PELA CONTEÚDO COMUNICAÇÃO

O Itaú Cultural também é grande produtor de conteúdo sobre a arte e a cultura brasileiras. Em seu portfólio, o instituto registra 780 títulos publicados – entre CDs, DVDs, CD-ROMs, vídeos, livros e enciclopédias. Em 30 anos, cerca de 973 mil itens já foram distribuídos gratuitamente a bibliotecas, escolas da rede pública, instituições culturais e emissoras de rádio e televisão públicas e comunitárias, além de pesquisadores, educadores, produtores e gestores culturais em todo o Brasil. A preocupação com a educação também se manifesta em uma intensa programação para escolas públicas e privadas na sede da instituição.

 

Neste campo, o Itaú Cultural tem investido no audiovisual desde o início dos anos 2000 e desenvolveu uma série de documentários sobre grandes nomes da cultura brasileira. Batizada Iconoclássicos, ela reúne os títulos Daquele Instante em Diante, sobre o músico Itamar Assumpção, dirigido por Rogério Velloso; EVOÉ! Retrato de um Antropófago, documentário sobre o dramaturgo Zé Celso, dirigido por Tadeu Jungle e Elaine Cesar; Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz, um retrato de Rogério Sganzerla sob o olhar de Joel Pizzini; Ex-Isto, livre adaptação de Catatau, de Paulo Leminski, por Cao Guimarães; e Assim É, se lhe Parece, filme de Carla Gallo sobre Nelson Leirner. A série é veiculada no Canal Curta! em uma parceria do Itaú Cultural com a emissora.

 

No mesmo espírito, em 2014 entrou em cartaz e itinerou por diversas cidades brasileiras o filme Ouvir o Rio: Uma Escultura Sonora de Cildo Meireles. O longa-metragem, dirigido por Marcela Lordy, é sobre a busca pelo som da água pelo artista visual que lhe dá nome.

 

O instituto produziu, ainda, A Paixão de JL documentário sobre Leonilson dirigido por Carlos Nader, que tem percorrido festivais e colhido premiações importantes dentro e fora do Brasil. JARDS, de Eryk Rocha sobre Jards Macalé é outra produção do Itaú Cultural também com carreira bem-sucedida. Esse artistas já foram protagonistas de grandes exposições no Itaú Cultural, nas quais se consolidou uma investigação profunda sobre seus trabalhos e processos de criação. Todos os filmes já foram apresentados gratuitamente ao público em salas do Espaço Itaú de Cinema em diferentes cidades do país.

 

Biblioteca

O Itaú Cultural também mantém uma das mais completas bibliotecas de arte e cultura do país. Instalada em sua sede na Avenida Paulista, conta com um acervo especializado em artes visuais, música, teatro, dança, cinema e vídeo, design, arquitetura, crítica literária e política cultural.

 

O espaço direciona a sua atuação para o meio artístico e acadêmico, atendendo pesquisadores, artistas e estudantes universitários de graduação e pós-graduação, com agendamento feito com antecedência. Consultas podem ser feitas previamente também no catálogo online: itaucultural.org.br/acervobiblioteca. A Biblioteca do Itaú Cultural disponibiliza 10 mil livros, 13,3 mil catálogos de arte, mil títulos de vídeo (DVD + VHS), 460 obras de referência (enciclopédias, dicionários e guias, entre outros), 60 títulos de periódicos sobre arte brasileira e políticas culturais.

 

Premiações recebidas nos dois últimos anos

Três prêmios da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo projeto Artigas, 100, pela exposição Sergio Camargo: Luz e Matéria e pela apresentação das bandas O Terno e Boogarins no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer. O documentário A Paixão de JL, sobre a vida do artista visual José Leonilson, também recebeu premiações nacionais e internacionais, como o 23º Festival Mix Brasil, Havana Film Festival, para o melhor documentário longa-metragem e o prêmio especial do júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). A 11ª edição da Bienal Brasileira de Design Gráfico destacou produtos elaborados pelo instituto: a Revista do Observatório e as publicações impressas ligadas às exposições Oscar Niemeyer: Clássicos e Inéditos e Ocupação Zuzu, dedicada à estilista Zuzu Angel. O longa-metragem Rifle, projeto contemplado pelo Programa Rumos, conquistou as categorias de melhor roteiro e melhor som no 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e de melhor filme pela crítica da Abraccine.

2017 -  DESENVOLVIDO PELA CONTEÚDO COMUNICAÇÃO

Produção de conteúdo em diversos formatos para distribuição gratuita_

O Itaú Cultural também é grande produtor de conteúdo sobre a arte e a cultura brasileiras. Em seu portfólio, o instituto registra 780 títulos publicados – entre CDs, DVDs, CD-ROMs, vídeos, livros e enciclopédias. Em 30 anos, cerca de 973 mil itens já foram distribuídos gratuitamente a bibliotecas, escolas da rede pública, instituições culturais e emissoras de rádio e televisão públicas e comunitárias, além de pesquisadores, educadores, produtores e gestores culturais em todo o Brasil. A preocupação com a educação também se manifesta em uma intensa programação para escolas públicas e privadas na sede da instituição.

 

Neste campo, o Itaú Cultural tem investido no audiovisual desde o início dos anos 2000 e desenvolveu uma série de documentários sobre grandes nomes da cultura brasileira. Batizada Iconoclássicos, ela reúne os títulos Daquele Instante em Diante, sobre o músico Itamar Assumpção, dirigido por Rogério Velloso; EVOÉ! Retrato de um Antropófago, documentário sobre o dramaturgo Zé Celso, dirigido por Tadeu Jungle e Elaine Cesar; Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz, um retrato de Rogério Sganzerla sob o olhar de Joel Pizzini; Ex-Isto, livre adaptação de Catatau, de Paulo Leminski, por Cao Guimarães; e Assim É, se lhe Parece, filme de Carla Gallo sobre Nelson Leirner. A série é veiculada no Canal Curta! em uma parceria do Itaú Cultural com a emissora.

 

No mesmo espírito, em 2014 entrou em cartaz e itinerou por diversas cidades brasileiras o filme Ouvir o Rio: Uma Escultura Sonora de Cildo Meireles. O longa-metragem, dirigido por Marcela Lordy, é sobre a busca pelo som da água pelo artista visual que lhe dá nome.

 

O instituto produziu, ainda, A Paixão de JL documentário sobre Leonilson dirigido por Carlos Nader, que tem percorrido festivais e colhido premiações importantes dentro e fora do Brasil. JARDS, de Eryk Rocha sobre Jards Macalé é outra produção do Itaú Cultural também com carreira bem-sucedida. Esse artistas já foram protagonistas de grandes exposições no Itaú Cultural, nas quais se consolidou uma investigação profunda sobre seus trabalhos e processos de criação. Todos os filmes já foram apresentados gratuitamente ao público em salas do Espaço Itaú de Cinema em diferentes cidades do país.

 

Biblioteca

O Itaú Cultural também mantém uma das mais completas bibliotecas de arte e cultura do país. Instalada em sua sede na Avenida Paulista, conta com um acervo especializado em artes visuais, música, teatro, dança, cinema e vídeo, design, arquitetura, crítica literária e política cultural.

 

O espaço direciona a sua atuação para o meio artístico e acadêmico, atendendo pesquisadores, artistas e estudantes universitários de graduação e pós-graduação, com agendamento feito com antecedência. Consultas podem ser feitas previamente também no catálogo online: itaucultural.org.br/acervobiblioteca. A Biblioteca do Itaú Cultural disponibiliza 10 mil livros, 13,3 mil catálogos de arte, mil títulos de vídeo (DVD + VHS), 460 obras de referência (enciclopédias, dicionários e guias, entre outros), 60 títulos de periódicos sobre arte brasileira e políticas culturais.

 

Premiações recebidas nos dois últimos anos

Três prêmios da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) pelo projeto Artigas, 100, pela exposição Sergio Camargo: Luz e Matéria e pela apresentação das bandas O Terno e Boogarins no Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer. O documentário A Paixão de JL, sobre a vida do artista visual José Leonilson, também recebeu premiações nacionais e internacionais, como o 23º Festival Mix Brasil, Havana Film Festival, para o melhor documentário longa-metragem e o prêmio especial do júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). A 11ª edição da Bienal Brasileira de Design Gráfico destacou produtos elaborados pelo instituto: a Revista do Observatório e as publicações impressas ligadas às exposições Oscar Niemeyer: Clássicos e Inéditos e Ocupação Zuzu, dedicada à estilista Zuzu Angel. O longa-metragem Rifle, projeto contemplado pelo Programa Rumos, conquistou as categorias de melhor roteiro e melhor som no 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e de melhor filme pela crítica da Abraccine.